Hemorroidas – consulta de Proctologia

Marque já a sua consulta de Cirurgia Geral

A Consulta de Proctologia tem como objetivo a prevencao, o diagnóstico e o tratamento das doenças do ânus e do reto. Hemorroidas, fissuras e fístulas anais, quistos coccígeos ou pilonoidais, assim como a dor e o prurido anal, são condições que afetam grande parte da população, provocando grande desconforto e afetando a qualidade de vida dos doentes.

O Hospital de Santa Maria – Porto disponibiliza uma consulta especializada de Proctologia, que diagnostica e trata estas patologias de forma individualizada e com uma equipa altamente especializada, proporcionando aos doentes as mais modernas técnicas no tratamento médico e/ou cirúrgico de hemorroidas, fissuras e fístulas anais. “Através do recurso a novas técnicas, menos invasivas e cada vez menos dolorosas, estes problemas são tratados com todo o conforto para o doente”, refere o Dr. António Araújo Teixeira, cirurgião geral, com diferenciação em cirurgia proctológica.

O Dr. António Araújo Teixeira é considerado um dos maiores especialistas nacionais em cirurgia hemorroidária, da fissura e fístula anal, sendo reconhecido pela classe médica por ter uma das maiores experiências cirúrgicas nesta área, com mais de 5000 cirurgias realizadas. A consulta de Proctologia do Hospital de Santa Maria – Porto é uma das principais referências para o tratamento de hemorroidas, recebendo doentes de todo o país.

O que são as hemorroidas, como se diagnosticam e como se tratam?

A doença hemorroidária é uma das patologias mais frequentes e que mais vezes leva o doente a uma consulta de Proctologia. É comum em ambos os sexos, prevendo-se que metade da população por volta dos 50 anos sofra de hemorroidas.

Todo o indivíduo adulto tem hemorroidas mas estima-se que só cerca de metade apresenta sintomas. As hemorroidas são veias inchadas no ânus e no reto inferior, semelhantes às veias varicosas. As hemorroidas podem desenvolver-se dentro do reto (hemorroidas internas) ou sob a pele ao redor do ânus (hemorroidas externas). Quase três em cada quatro adultos terão hemorroidas de vez em quando, pelo que se trata de uma condição clínica que afeta grande parte da população, homens e mulheres.

Embora as hemorroidas raramente sejam perigosas, elas são, muitas vezes, uma situação recorrente e dolorosa. Felizmente, há muito que se pode fazer para tratar as hemorroidas e o seu tratamento pode ser médico, instrumental ou cirúrgico, podendo este último ser realizado em regime de ambulatório ou internamento.

Como se diagnostica a doença hemorroidária?

O diagnóstico de hemorroidas ou de qualquer outra doença ano-retal baseia-se numa história clínica cuidada, após uma conversa tranquila com o doente, num exame físico geral rigoroso e num exame proctológico completo, devendo todos eles ser realizados em ambiente com o máximo conforto e privacidade possíveis. Em casos selecionados poderá ser necessário recorrer, para além do exame proctológico, a outros exames como a colonoscopia, radiologia e estudos funcionais.

Exame proctológico
  • Inspecção da região anal – permite por si só diagnosticar hemorroidas externas, tromboses hemorroidárias externas prolapsos, lesões dérmicas, fissuras anais, tumores, etc.
  • Toque retal – é um gesto fundamental do exame proctológico que permite diagnosticar cerca de 10% dos tumores do reto, que muitas vezes são confundidos com hemorroidas.
  • Anuscopia – exame que permite visualizar o interior do canal anal, avaliar a existência de hemorroidas internas e classificá-las em função do prolapso que apresentam, classificação esta que terá implicações na escolha do tratamento.

Identificam-se algumas situações urgentes, que necessitam de avaliação médica imediata:

Crise hemorroidária

Bem conhecida do público em geral é muito frequente e uma das principais causas de consulta urgente. Pode ser desencadeada por abusos alimentares (álcool, molhos picantes, …), obstipação e/ou diarreia, viagens longas, medicamentos, gravidez, parto, período pré-menstrual, etc. É responsável pelo aparecimento de mal-estar anal generalizado, dor, por vezes intensa, ardência anal e sensação de peso a nível do ânus.

O exame anal revela um edema marcado da região anal, circunferencial, com hemorroidas exteriorizadas e aumentadas de volume, tensas e de cor rosa-avermelhado. A sua evolução é variável, havendo geralmente resolução progressiva do quadro em poucos dias após tratamento médico.

  • Medicação geral – anti-inflamatória, analgésica e flebotónica;
  • Medicação local – banhos de assento, gelo, pomadas anti-hemorroidárias;
  • Regime alimentar adequado, regularizar trânsito intestinal.
Trombose hemorroidária

Pensa-se que entre todos os doentes que sofrem de hemorroidas, 15% irão ter um dia uma trombose hemorroidária, para a qual ainda não se conhece a causa. As tromboses hemorroidárias podem classificar–se em internas ou externas conforme se localizam dento ou fora do ânus.

A trombose externa apresenta–se como uma tumefação da margem anal, geralmente única, dura e de cor azulada, responsável pelo aparecimento súbito duma dor moderada. A sua evolução também é variável mas na maioria dos casos resolve com o tratamento médico que é idêntico ao da crise hemorroidária. Por vezes torna–se necessário recorrer a um pequeno gesto cirúrgico que consiste em fazer uma pequena incisão na hemorroida para extrair o trombo.

A trombose interna, ao contrário da externa, pode ser responsável por uma das situações mais graves e dolorosas em proctologia que é o “estrangulamento hemorroidário”, considerada uma verdadeira urgência proctológica.

O doente refere uma dor insuportável, que o impede de andar e sentar, com as hemorroidas todas exteriorizadas e com trombos vários, de cor violácea e com edema marcado que impede a sua redução. O tratamento destes casos extremos é cirúrgico devendo a cirurgia urgente ser realizada apenas por cirurgiões experientes.

Hemorroidas na gravidez

Existem a nível das hemorroidas recetores hormonais (estrogénicos) que explicam a grande frequência de sintomas durante a gravidez, frequência esta que é de cerca de 30%.

As hemorroidas podem manifestar-se pela primeira vez durante a gravidez sendo geralmente por volta do 3º trimestre e no período pós-parto que surgem complicações, como por exemplo crises hemorroidárias e tromboses hemorroidárias. Outros fatores responsáveis pelo aparecimento dos sintomas são o aumento da pressão abdominal, devido a um útero grávido, o aumento do volume sanguíneo circulante e a obstipação.

Com exceção das situações de trombose hemorroidária, que podem obrigar a uma intervenção cirúrgica urgente, todas as outras situações se resolvem geralmente com tratamento conservador. Nos casos em que for necessário recorrer a uma cirurgia urgente, por falência do tratamento médico, a gravidez não será colocada em risco.

Hemorroidas e cancro

As hemorroidas, não sendo responsáveis pelo aparecimento de cancro do intestino, apresentam uma sintomatologia que é muito semelhante à do cancro do reto (porção terminal do intestino grosso) obrigando por isso a um diagnóstico diferencial precoce. Todo e qualquer indivíduo que perca sangue pelo ânus, sobretudo se tiver idade superior a 40 anos, deve recorrer de imediato a uma consulta da especialidade para que seja excluída a hipótese de se tratar duma doença maligna e ser devidamente tratado.

Infelizmente ainda é frequente os doentes automedicarem-se com pomadas para hemorroidas e que passado algum tempo, em virtude de não melhorarem, chegam ao consultório já com um cancro do reto em fase aguda. O diagnóstico precoce é de extrema importância, também nestes casos.

Partilhar

Conselhos de Saúde Relacionados

Ligue já

225 082 000

(Chamada para rede fixa nacional)

Dias úteis: 08h00 às 24h00

Ou deixe-nos o seu contacto
Nós ligamos para si